sexta-feira, 17 de agosto de 2007

Portugal profundo

Portugal tem ainda lugares escondidos, demasiadas vezes esquecidos, muitas vezes mal lembrados! São recantos em que nas horas ainda se contam os minutos vagarosos, e em que as casas mais antigas escondem pedras de granito já sem vida que as habite, mas com encantos por descobrir!

Uma vez por ano as ruas tortuosas destes lugares enchem-se com os que ainda resistem às ambições urbanas e com os filhos da terra que procuraram novos rumos...Os altifalantes ecoam pela aldeia as licitações de um leião em que se demonstram os bafejos da sorte de quem saiu! A música popular sai aos berros de um amplificador barato posto em cima de um camião e a aldeia vai dançando no largo, vazio tantos dias num ano!

É um país que Deus mal lembra, rural, profundo, tantas vezes triste nas suas lamentações, que dança nesta noite de Agosto!


Nota: Fotos by Moura (Festa de Parada - Agosto 2007)

4 comentários:

R.Moura disse...

Pois pois... isso e uma maneira bonita de dar a conhecer parada aos qe nunca la foram.... Basicamente aquilo e uma aldeola com uma festa não muito arrrojada é verdade mas isso lá não importa... Aquela festa e feita para passarmos uns bons momentos todos juntos sem se preocupar com as figurinhas que fazemos ou a maneira como estamos vestidos e tal... Aquilo sim é uma FESTA ! ! ! Esperu qe pro ano haja mais ! ! Parada rulla ! ! hehe

Moura disse...

A beleza está mesmo nos olhos de quem a vê! O fim de tarde num canto perdido de Portugal esquecido por tantos, pode tornar-se uma pequena caça à beleza escondida e ao pormenor.
Não nos esqueçamos das nossas raízes e dancemos todos, soltando um pouco daquele Marante que há em nós...

Maria José disse...

As viagens que poucos apreciam; ao fim do tempo, ao princípio do respirar de um ar julgado perdido.

bel disse...

Que pena não ter estado lá... Fica para o próximo ano!!!